Glossário – M

MAINTAINABILITY (MANTENABILIDADE) – 1. Aptidão de um componente, produto, equipamento ou sistema receber manutenção, dentro de um período de tempo determinado e a um custo preestabelecido. 2. Conjunto de características qualitativas e quantitativas referentes ao projeto e instalação, que permitem o cumprimento dos objetivos operacionais com mínimas despesas. 3. Probabilidade de que um sistema, após ter falhado, seja retornado às condições de operação, em certas condições, num período de tempo especificado.

 

MANUAL DA QUALIDADE – Documento que descreve o sistema da qualidade de uma organização, especificando a política, diretrizes, atribuições, responsabilidades e procedimentos adotados para a execução de todas as atividades que possam vir a influenciar a qualidade, bem como as formas de controle.

 

MANUAL DA QUALIDADE – Documento que registra a política da qualidade, sistemas e práticas de uma organização.

 

MANUSEIO – Qualquer atividade que propicie a um produto ou serviço ficar sob a influência de fatores externos que possam afetá-lo ou alterar sua vizinhança.

 

MANUTENÇÃO – 1. Operação de caráter preventivo, compreendendo limpeza, ajustes, correções e verificações rotineiras em instrumentos e equipamentos de medição, com o objetivo de evitar possíveis falhas futuras. 2. Atividade logística que compreende um conjunto de ações administrativas, técnicas e econômicas a serem tomadas para a conservação, recuperação do estado operacional ou otimização do ciclo de vida de itens, produtos, instrumento, máquinas, equipamentos, processos, sistemas ou do conjunto dos meios de produção.

 

MATERIAL – Denominação genérica de tudo que faça ou possa vir a fazer parte de um fornecimento: matéria-prima, peça, componente, subconjunto, conjunto, sistema, máquina, instrumento, equipamento, acessório, sobressalente ou qualquer outro item ou produto a ser fornecido, mediante um pedido ou contrato.

 

MATERIAL DE REFERÊNCIA – Substância ou dispositivo que possui características de medida estáveis e em condições de uso e que é utilizado como um padrão de medição ou em aferição de equipamentos de medida.

 

MATÉRIA-PRIMA – Bem adquirido por uma empresa para se tornar, após transformação, parte do produto que a mesma produz.

 

MATRIZ – Ferramenta cuja finalidade é conferir determinado formato ou imprimir desejada forma ou efeito sobre um certo material.

 

MÉDIA DA AMOSTRA – Média dos resultados de medição ou ensaio de uma amostra.

 

MÉDIA GEOMÉTRICA – Raiz enésima do produto dos n termos que compõem uma série.

 

MÉDIA HARMÔNICA – Resultado da divisão do número de termos de uma série pela soma dos seus inversos.

 

MÉDIA QUADRÁTICA – Raiz quadrada da média dos quadrados dos termos de uma série.

 

MEDIANA – Valor central de uma série de itens, quando todos os itens da série estiverem dispostos em ordem crescente ou decrescente de valor.

 

MEDIÇÃO – Conjunto de operações que têm por objetivo determinar o valor de uma grandeza.

 

MEDIDAS DE DISPERSÃO – Medidas que permitem avaliar se os dados de observação tendem a se dispersar em torno de um valor médio.

 

MEDIDAS DE POSIÇÃO – Medidas utilizadas para indicar a ordem de grandeza de dados ou observações, de forma a permitir a comparação entre amostras.

 

MEIO AMBIENTE – Conjunto de todos os objetos que não fazem parte do sistema em consideração, mas que exercem influência sobre a sua operação.

 

MELHORIA CONTÍNUA – Princípio que reza que a melhoria num produto, serviço ou processo é contínua e que deve ser sistematicamente procurada. A melhoria contínua não é somente limitada às mudanças incrementais, mas inclui igualmente alterações radicais e inovadoras.

 

MELHORIA CONTÍNUA DA QUALIDADE – Esforço contínuo de melhoria da qualidade, sustentado no decorrer do tempo, que age sobre os processos, produtos e serviços, em ermos humanos e tecnológicos, com o objetivo de garantir que o nível de qualidade seja sempre mais alo do que o custo competitivo.

 

MELHORIA DO PROCESSO – Conjunto de mudanças, adaptações e ações necessárias à melhoria da qualidade de um processo.

 

MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS – Método de ajuste de uma curva representativa de um fenômeno descrito por uma série de pares de valores assumidos por variáveis interdependentes.

 

MÉTODO TAGUCHI – Técnicas estatísticas desenvolvidas pelo japonês Genichi Taguchi para otimização do design e da produção.

 

METROLOGIA – Ciência que se ocupa do estudo, definição e padronização de todos os meios de medição.

 

MIL-STD (MILITARY STANDARDS) – Normas Militares publicadas pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

 

MODELO – 1. Representação física de um item ou material. 2. Equação ou conjunto de equações que regem a relação entre duas ou mais variáveis dependentes. 3. Representação formal (matemática) das inter-relações entre diversas variáveis características de um fenômeno.

 

MODIFICAÇÃO – Combinação de todas as ações técnicas e administrativas que visam a modificar um item.

 

MONITORAMENTO – Processo de acompanhamento de resultados de um negócio ou do desempenho de um produto ou serviço entregue a um cliente.

 

MULTIPLICADOR – 1. Pessoa treinada em técnicas da qualidade que sistematicamente repassa aos colegas de trabalho os conhecimentos adquiridos. 2. Diretor ou gerente com grande capacidade multiplicadora de idéias e conceitos, tanto interna quanto externamente à sua entidade, sendo o principal responsável pela qualidade da organização, em seu nível estratégico, podendo também atuar na definição e na supervisão executiva do programa da qualidade da organização, como um todo ou por área de atividade. 3. Entidade que tem como objetivo institucional a pesquisa, o desenvolvimento e a difusão de conceitos, metodologias, sistemas e técnicas de gestão da qualidade, bem como a cooperação técnica na área da qualidade.

 

Voltar