Glossário – D

DADOS – Observações relativas às características e que permitem fazer avaliação quantitativa da confiabilidade.

DADOS QUALITATIVOS – Dados que identificam um item com relação a algum limite, mas não atribui valor(es) à(s) característica(s) de requisitos deste item.

DADOS QUANTITATIVOS – Dados resultantes de medições os quais apresentam valores das características em referência.

DADOS SECUNDÁRIOS – Informações disponíveis de imediato, mas que tenham sido coletadas para um outro objetivo.

DEDUÇÃO – Processo ou resultado de raciocínio por meio do qual, partindo de um todo, chega-se a uma conclusão específica, ou, em outras palavras, a partir de um conhecimento geral, é possível fazer julgamento a respeito de um elemento específico.

DEFEITO – Qualquer desvio de uma característica de um item em relação aos seus requisitos, podendo afetar ou não a capacidade do item em desempenhar uma função requerida.

DEFEITOS POR UNIDADE – Número de defeitos encontrados em uma unidade de produto, ou o número total de defeitos encontrados em um lote, dividido pelo número de unidades do lote.

DEMÉRITO – Alocação de valores numéricos para desclassificação de materiais, itens, produtos, serviços, processos ou sistemas em função da gravidade de defeitos ou não-conformidades identificados, considerando-se sua aplicação ou uso.

DESDOBRAMENTO – Extensão da utilização de métodos para atender aos requisitos da qualidade.

DESEMPENHO NO CAMPO – Termo genérico que se refere ao modo como um componente ou sistema opera, quando em uso, normalmente comparado com o seu desempenho no laboratório, linha de montagem ou fábrica.

DESENVOLVIMENTO DA QUALIDADE – Melhoria qualitativa de uma empresa, organização ou país, considerando-se além da melhoria de produtos, serviços e processos e o sucesso no mercado, também as transformações positivas, os métodos de gestão e as relações no trabalho.

DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO – Expressão genérica que engloba as atividades de estudo do projeto de um produto ou serviço, seleção do processo, projeto do processo, provisão das instalações, provisão de softwares (métodos, procedimentos, instruções), provisão de matérias-primas etc.

DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO – Processo de fornecer a um novo produto ou produto modificado as características da qualidade que atendam às necessidades e às expectativas do cliente.

DESVIO – Diferença entre a variável e o valor de referência.

DESVIO MÉDIO – Média aritmética dos desvios absolutos de uma série de termos, tomados em relação à sua média aritmética.

DESVIO-PADRÃO – Unidade estatística da medida da variabilidade de observações em torno da média aritmética de um conjunto de dados, ou seja, a raiz quadrada positiva da variância.

DESVIO-PADRÃO DA AMOSTRA – Raiz quadrada positiva da variância da amostra.

DETECÇÃO – Conceito de controle da qualidade cuja base está na inspeção, detecção e remoção de defeitos, falhas e não-conformidade de material, item, produto ou serviço, antes de envio/entrega aos clientes.

DIAGRAMA – Forma de representação gráfica das ligações de um sistema, de dados ou informações diversas.

DIAGRAMA DE AFINIDADES – Método utilizado para converter conceitos vagos em específicos, por meio do uso de linguagens e diagramas apropriados.

DIAGRAMA DE CAUSA-E-EFEITO – O mesmo que Diagrama de Ishikawa.

DIAGRAMA DE DISPERSÃO – Gráfico utilizado para investigar possível correlação entre duas variáveis e para provar possível correlação entre causa-e-efeito.

DIAGRAMA DE ESPINHA-DE-PEIXE – O mesmo que Diagrama de Ishikawa.

DIAGRAMA DE ISHIKAWA – Técnica visual que interliga os resultados (efeitos) com os fatores (causas), propiciando uma visualização prática das variáveis (causas-raízes) que afetam um processo analisado ou um problema, sendo uma das mais importantes ferramentas do ciclo de melhoria da qualidade de processos e uma das 7 Ferramentas do Controles da Qualidade.

DIAGRAMA DE RELAÇÕES – Diagrama que mostra as relações lógicas entre as diversas etapas ou fatores importantes para a solução de um problema, situação-problema ou processo complexo, facilitando a implementação de soluções adequadas.

DIRETRIZ – Amplo guia de conduta gerencial, incluindo as prioridades e as normas de caráter geral, que orienta a tomada de decisão nos diversos escalões de uma organização e permite a concentração de esforços, dando consistência e previsibilidade à maneira de atuação da organização.

DISPONIBILIDADE – Habilidade de um material, item, subconjunto, conjunto, produto, serviço ou sistema estar em estado de desempenhar a função para a qual tenha sido designado, sob condições estabelecidas, por um dado período.

DISPOSIÇÃO DE ITEM NÃO-CONFORME – Ação imediata a ser tomada após análise crítica da não-conformidade de um item.

DISTRIBUIÇÃO BINOMIAL – Distribuição discreta utilizada para descrever o número de ocorrências X de um evento em n testes ou tentativas independentes, quando a probabilidade p de ocorrência do evento em cada teste for constante.

DISTRIBUIÇÃO CONDICIONAL – Distribuição de um subconjunto de p variáveis aleatórias de uma distribuição de probabilidade a k variáveis aleatórias, quando as outras (k-p) variáveis aleatórias assumem valores fixos.

DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS – 1. Associação dos valores observados de uma determinada variável qualitativa ou quantitativa em uma amostra ou população, com suas respectivas freqüências. 2. Série cujos dados estão agrupados em subintervalos do intervalo que esteja sendo observado.

DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADES – 1. Função que determina a probabilidade de uma variável aleatória assumir qualquer valor ou conjunto de valores dados. 2. Maneira de descrever o resultado de um sistema de causas comuns de variabilidade, na qual valores individuais não são previsíveis, mas o grupo de resultados apresenta disposição que pode ser normalmente descrita em termos de localização, de amplitude e de forma.

DISTRIBUIÇÃO F – Distribuição do quociente de duas variáveis aleatórias X2 independentes, cada uma dividida pelo seu número de graus de liberdade.

DISTRIBUIÇÃO HIPERGEOMÉTRICA – Distribuição do número de ocorrências x de uma característica em n tentativas ou testes em que a amostragem é feita sem reposição, de uma população finita de tamanho N na qual D membros apresentam a característica.

DISTRIBUIÇÃO NORMAL – Histograma simétrico em forma de sino, teórico ou provável, primeiramente demonstrado por Gauss, originado de dados provenientes de um processo aleatório, em que a variável está isenta de causas especiais.

DISTRIBUIÇÃO QUI-QUADRADO – Distribuição da soma quadrática de variáveis aleatórias normais padronizadas independentes.

DOCUMENTAÇÃO – Soma de várias formas de expressão física de informação a respeito de uma área de conhecimento.

DOCUMENTO – Qualquer expressão física de informação ou dados.

DONO DO PROCESSO – Designação utilizada para identificar o responsável pelo desempenho de um determinado processo.

DURABILIDADE – Habilidade de um item em desempenhar uma função requerida sob dadas condições de uso e manutenção, até chegar ao estado limite.

 

Voltar