Glossário – A

ABORDAGEM FACTUAL – Administração de cada fase do trabalho por meio de dados objetivos (fatos) ao invés de opiniões e tomada de decisões baseadas nessas informações.

 

AÇÃO CORRETIVA – Atitude tomada para corrigir não-conformidades identificadas e evitar que ocorram novamente.

 

AÇÃO CORRETIVA – Providência tomada com o objetivo de eliminar as causas de uma não-conformidade, defeito, falha, a fim de retificar condições adversas à qualidade e prevenir sua repetição.

 

AÇÃO PREVENTIVA – Ação tomada no sentido de impossibilitar ou, ao menos, dificultar a recorrência de um problema devido à mesma causa.

 

AÇÃO PREVENTIVA – Atitude tomada para prevenir a ocorrência de possíveis não-conformidades.

 

ACCREDITATION OU CREDENCIAMENTO – Reconhecimento da capacidade técnica de uma entidade para executar serviços em determinada área de atuação, faixa e incerteza de medição.

 

ACCURACY OU EXATIDÃO – Proximidade entre um valor observado e o valor aceito como referência.

 

ACESSIBILIDADE – Grau em que clientes de determinados segmentos de mercado são atingidos e satisfeitos por produtos e/ou serviços.

 

AJUSTE – 1. Procedimento que consiste em descobrir se os pontos representativos de uma série em um gráfico parecem se alinhar segundo uma parte de curva e em determinar qual é a curva que melhor traduz a suposta ligação entre estes diferentes pontos representativos. 2. Processo de determinação e aplicação de correção, de forma a reduzir os erros ou eliminar discrepâncias entre resultados obtidos. 3. Grau de liberdade ou de aperto entre duas peças montadas acopladas, sendo uma externa (fêmea) e outra interna (macho).

 

ALEATÓRIO – Termo normalmente utilizado para enfocar que um determinado processo sob consideração é, de alguma forma, probabilístico.

 

ALTA DIREÇÃO – Conjunto dos responsáveis ao mais alto nível da hierarquia de uma organização (presidente, diretor geral, diretores).

 

AMOSTRA – Parte ou porção representativa de um conjunto ou população, a ser medida, analisada ou ensaiada.

 

AMOSTRA ALEATÓRIA – Amostra de n elementos, retirada de uma população de N elementos, de forma que todas as possíveis combinações dos n elementos têm uma chance calculável de ser retiradas.

 

AMOSTRAGEM – Processo de escolha de amostra(s) que consiste em seleção criteriosa dos elementos de um lote ou população que serão submetidos a um estudo, análise, inspeção e avaliação, por meio de evidência objetiva.

 

AMOSTRAGEM ALEATÓRIA – Processo de seleção no qual todos os elementos da população são retirados “por sorteio” e que possui as seguintes propriedades: todos os elementos têm igual probabilidade de serem sorteados, em qualquer estágio do processo e incluídos na amostra, e os elementos são independentes uns dos outros.

 

AMOSTRAGEM CONTÍNUA – Tipo de amostragem utilizada em linhas de produção contínua, quando a formação de lotes de unidades de produto ou serviço para fins de inspeção resultar em aumento de custo e/ou aumento considerável do trabalho e tempo de inspeção, quando não houver disponibilidade de todos os meios necessários à inspeção, quando não existir local para estocagem ou esse for inadequado.

 

AMOSTRAGEM DUPLA – Inspeção por amostragem na qual o resultado da inspeção da primeira amostra de tamanho n1 conduz a uma decisão sobre a aceitação, não-aceitação ou retirada de uma segunda amostra de tamanho n2.

 

AMOSTRAGEM EM CADEIA – Inspeção por amostragem na qual o critério para aceitação ou rejeição do lote depende em parte dos resultados da inspeção dos lotes imediatamente precedentes.

 

AMOSTRAGEM ESTRATIFICADA – Amostragem na qual a população é dividida em subpopulação, estratos ou subclasses, das quais se recolhem elementos, isoladamente, para perfazer a amostra.

 

AMOSTRAGEM MÚLTIPLA – Inspeção por amostragem na qual, após cada amostra ser inspecionada, toma-se uma decisão sobre aceitar o lote (ou batelada), não aceitá-lo ou inspecionar outra amostra.

 

AMOSTRAGEM PARA ACEITAÇÃO – Metodologia de inspeção por amostragem cujos resultados servem de base para uma tomada de decisão quanto à aceitação ou não-aceitação de materiais, itens, produtos ou serviços.

 

AMOSTRAGEM POR LOTE SALTEADO – Processo no qual alguns lotes de uma série são aceitos sem inspeção e outros com inspeção parcial.

 

AMOSTRAGEM SIMPLES – Tipo de amostragem na qual toma-se uma decisão baseada na evidência de uma única amostra por lote.

 

ANÁLISE CRÍTICA – Ferramenta utilizada para o estudo e a classificação de características de um item.

 

ANÁLISE CRÍTICA DE CONTRATO – Avaliação dos requisitos contratuais, realizada tanto pelo fornecedor quanto pelo comprador, com o objetivo de assegurar-se de que os requisitos do sistema da qualidade estejam adequadamente definidos e documentados, e de que o fornecedor tenha capacidade para atendê-los, considerando os fatores econômicos e riscos nas respectivas situações.

 

ANÁLISE CRÍTICA DE DADOS – Estudo pormenorizado dos fatos que deram origem aos dados relativos à ocorrência de um fenômeno.

 

ANÁLISE CRÍTICA DE PROJETO – Avaliação formal e metodológica de um projeto, principalmente com o objetivo de avaliar se o objeto do projeto funcionará com sucesso quando em uso, se pode ser obtido numa relação custo/benefício interessante e, quando aplicável, se é adequado à manutenção em curto espaço de tempo e de baixo custo.

 

ANÁLISE DE CORRELAÇÃO – Técnica analítica para determinar o “grau de afinidade” de uma variável dependente com um variável independente.

 

ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO – Método de análise sistemática e rigorosa de opções de alternativas, expressas em objetivos específicos para uma organização.

 

ANÁLISE DE RISCOS – Ramo da prevenção de perdas que trata do estudo dos perigos em uma instalação e seus impactos ao meio ambiente.

 

ANÁLISE DO PROCESSO – Decomposição de um processo em partes, propiciando melhor conhecimento sobre o mesmo, por meio da identificação de pontos positivos e negativos.

 

APROVAÇÃO – Autorização de recebimento, entrega ou utilização de material, item, produto ou serviço (lote, batelada ou partida), ou concordância ou permissão para uso de um processo, planejamento, plano, programa, procedimento, norma, etc., relativo à qualidade interna ou externamente à organização.

 

AQUISIÇÃO – Obtenção de matérias-primas, materiais, itens, produtos semi-acabados ou acabados e serviços necessários às atividades de qualquer organização.

 

ARMAZENAMENTO – Conjunto das atividades que, dentro de uma empresa, dizem respeito à estocagem e ao controle dos movimentos que afetam os estoques.

 

ARREDONDAMENTO – Aproximação de dados ou valores observados para facilitar cálculos estatísticos.

 

ÁRVORE DE DECISÃO – Representação da anatomia de uma decisão a ser tomada e da decomposição das suas relações com eventuais decisões futuras, reações de concorrência e suas conseqüências.

 

ATA – Enunciado das ocorrências em grupo de clientes sob formato-padrão.

 

ATENDIMENTO – Velocidade, competência, cortesia e disponibilidade com que uma organização ou indivíduo acolhe os clientes e lhes presta um serviço.

 

ATIVIDADE DE VALOR AGREGADO – Atividade que acrescenta valor ao produto ou serviço quando recebido por um cliente ou clientes.

 

ATRIBUTO – Característica ou propriedade de uma unidade de produto ou serviço, avaliada quanto à existência ou não de um requisito especificado ou esperado.

 

AUDITOR – Profissional responsável pela execução da auditoria. Um auditor deve avaliar fatos e evidências objetivas, passíveis de verificação e comprovação.

 

AUDITOR DA QUALIDADE – Profissional qualificado para executar auditorias da qualidade.

 

AUDITORIA DA QUALIDADE – Avaliação planejada, programada e documentada, executada por pessoal independente da área auditada, para determinar, mediante investigação e avaliação de evidência objetiva, o ambiente, a adequação e observância de normas, especificações, procedimentos, instruções, códigos, atividades ou programas administrativos ou operacionais e outros documentos aplicáveis, bem como a efetividade da implementação dos mesmos e os resultados que estão sendo obtidos.

 

AUDITORIA DA QUALIDADE – Exame sistemático e independente para verificar os planos da qualidade da empresa e a sua implementação. É importante observar que uma auditoria da qualidade não tem caráter punitivo e pode, inclusive, na maioria das vezes, gerar novas oportunidades de melhoria.

 

AUDITORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO – Análise dos elementos do processo e avaliação da abrangência, da adequação das condições e da sua provável eficácia.

 

AUDITORIA DA QUALIDADE DO PRODUTO – Avaliação quantitativa da conformidade das características do produto (ou serviço), segundo os requisitos, especificação, norma, contrato ou acordo.

 

AUDITORIA EXTERNA DA QUALIDADE – Auditoria de todo o sistema da qualidade de uma organização ou de parte dele, sendo executada por uma outra organização interessada ou por terceiros.

 

AUDITORIA INTERNA DA QUALIDADE – Auditoria de todo o sistema da qualidade de uma organização ou de parte dele, sendo realizada pela própria organização.

 

AUDITOR-LÍDER DA QUALIDADE – Auditor designado como responsável pelo planejamento, programação, direção, execução e controle de uma auditoria da qualidade.

 

AUTOCONTROLE – Parte do controle de um processo realizado por um ou mais operadores.

 

AUTO-INSPEÇÃO – Filosofia ou estado no qual o operador (ou funcionário) tem autonomia para decidir se o produto produzido ou serviço prestado está ou não em conformidade com a meta de qualidade previamente estabelecida ou com regras de trabalho especificadas.

 

AVALIAÇÃO – Estimativa ou determinação de valor de alguma coisa ou situação, em comparação com uma especificação ou padrão, com um objetivo determinado.

 

AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE – Ensaio ou avaliação de um sistema, processo, produto ou serviço quanto ao atendimento a características e/ou resultado estabelecidos.

 

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE – Monitoramento ou observação sistemática para verificar a conformidade de itens, produtos, serviços ou atividades às especificações, à adequação ao uso e/ou à satisfação de clientes.

 

 

AVALIAÇÃO DE RISCOS – Exame sistemático de um componente, sistema ou instalação industrial real ou proposta, visando identificar e formar opinião sobre ocorrências perigosas potencialmente sérias e suas respectivas conseqüências.

 

 

AVALIAÇÃO PELA TERCEIRA PARTE – Avaliação de produto/serviço, processo ou sistema da qualidade contra um conjunto de padrões, por auditoria do cliente, comprador ou usuário, pessoa física ou jurídica

 

Voltar